CrMVR Botânico - Por um Ambiente Sustentável

CRMVR

Nome da Espécie: Fagus sylvatica L.

Nome Comum: Faia; Faia Europeia.

Origem: Grande parte Europa, de Espanha até Cáucaso e oeste da Ásia (Irão e Turquia).

Floração: Abril - Maio

                                         

Inflorescência: Amentilho ou Amento. Espiga alongada, pendente, deiscente, de flores unissexuadas, nuas ou com perianto sepalóide, geralmente bracteadas.

CRMVR

 Glossário Botânico 

CrMVR Botânico - Localização no Jardim do Conservatório

CRMVR

Descrição:    

 

A faia é uma árvore robusta, normalmente muito ramificada quando adulta, de copa ampla abobadada, caducifólia, podendo medir até 30 m de altura. Tronco direito, com casca lisa, de cor cinzenta. Ramos principais, numerosos, erectos ou, mais raramente, algo pendentes e folhagem densa oferecendo desta forma sombra abundante. As folhas são ovadas a elípticas, com nervuras laterais bem marcadas e quase paralelas, pecioladas, no início de cor verde-claro, depois escuras e algo lustrosas na maturação, com 4 a 10 cm de comprimento; margem ondulada, com abundantes "pelos" sedosos muito característicos, nas folhas jovens, por vezes dentículadas; as estípulas são estreitas, roxas e caducas. As flores masculinas têm um número variável de estames (8 a 16) e um invólucro sepalóide composto por 4 a 7 peças, dispostas em inflorescências globosas. As inflorescências femininas nascem na mesma planta, agrupadas no interior de um invólucro dividido em 4 partes. O fruto é constituído por 2, às vezes 1 a 3, nozes lustrosas, de secção triangular, com os ângulos bem marcados, encerrados numa cúpula eriçada de picos frouxos, que se abre por 4 valvas para libertar os frutos (aquénios).

Tipo de Reprodução: Monóica (Com flores unissexuadas, masculinas e femininas, no mesmo indivíduo).       

Forma de Vida: Árvore

Tipo de Fruto: Aquénios       

 

Consistência: Seca                 

 

Maturação: Setembro - Outubro

Tipo de Folha: Simples

     

Inserção da Folha: Alterna

Margem da Folha: Ondulada

Forma da Folha: Ovada a elíptica

Perenidade: Caducifólia (folha caduca)

Habitat: Ocorre naturalmente por toda a Europa, sobretudo Norte e Centro e nalgumas zonas do Sudeste Europeu, ocorrendo desde o nível do mar até 1700 m em particular nas zonas mais elevadas de bosques de folhosas.

Observações: A faia, é característica do Norte de Espanha, França, Sul de Inglaterra e Sul dos países Escandinavos, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Polónia, Itália e Países Balcânicos.

 

Sendo uma espécie exótica (não originária no nosso território), tem sido plantada pelo Serviços Florestais, principalmente na Serra da Estrela e nalgumas serras do Norte. Tem sido igualmente cultivada como espécie ornamental em vários parques e jardins, nomeadamente no Parque da Pena em Sintra e Mata Nacional do Buçaco, no Jardim botânico da UTAD e no Parque de Serralves (Porto).

Aplicações: Dos seus frutos (aquénios), extrai-se na Europa setentrional, azeite para usos culinários, sendo de sabor semelhante ao das avelãs. A pasta remanescente, após a extração do azeite, pode ser tóxica para alguns animais. Por destilação seca da madeira obtém-se o breu de faia, outrora utilizado para combater a tuberculose. As tão célebres propriedades antipiréticas (combate à febre) da casca de faia parecem ser mero produto da imaginação popular.

 

A madeira da faia assuem tonalidades branca a castanho claro, pontualmente com tons rosados, sendo dura, de textura fina, uniforme e fácil de trabalhar. Torneia-se bem e pode ser curvada ao vapor, sendo pouco resistente às mudanças de humidade. É muito utilizada na carpintaria para a preparação de elementos torneados; utiliza-se também para pasta de papel e como combustível, devido à sua grande capacidade calorífica. 

Galeria de Imagens da Espécie

Créditos Fotográficos do CrMVR - Fotos dos Jardins do Conservatório

Créditos Fotográficos dos Exemplares Adultos - Jardim Botânico da UTAD https://jb.utad.pt/

CRMVR

ORQUESTRA DE SOPROS E PERCUSSÃO